top of page

Refluxo & Tratamentos Naturais

Refluxo Gastroesofágico, é uma condição de longo prazo onde o conteúdo do estômago volta-se ao esôfago resultando em sintomas ou complicações. Graças a associação de suplementos, ervas, homeopatia e alimentos, confirmados pela bio-ressonância é possível tratá-la corretamente, sem efeitos colaterais.

Refluxo Gastroesofágico é devido ao fechamento deficiente do esfíncter esofágico inferior (a junção entre o estômago e o esôfago).

Os sintomas do Refluxo Gastroesofágico incluem o sabor do ácido na parte de trás da boca, azia, mau hálito, dor no peito, vômitos, problemas respiratórios e desgaste dos dentes. As complicações incluem de esofagite até câncer. Segundo o Michael Vaezi, MD, PhD, diretor clínico da divisão de gastroenterologia e hepatologia:"é um equívoco tratar prioritariamente com anti- ácidos." Os fatores de risco do Refluxo Gastroesofágico incluem obesidade, tabagismo, hérnia de hiato, deficiências de certos minerais, vitaminas, gravidez, ou tomar determinados medicamentos.

Os sintomas mais comuns de DRGE em adultos são azia, um gosto ácido na boca e regurgitação. Os sintomas menos comuns incluem dor com deglutição / dor de garganta, salivação aumentada (também conhecida como água impetuosa), náuseas, dor torácica e tosse.

Existem riscos da terapia prolongada de supressão ácida (uso de anti-ácidos): Aumento do risco de pneumonia adquirida na comunidade Aumento do risco de infecção adquirida na comunidade, como por Clostridium difficile. Aumento do risco de fratura óssea Diminuição da absorção de ferro Diminuição da absorção de vitamina B12 Diminuição da absorção de cálcio Hiperplasia gástrica (devido à estimulação da gastrina) por vezes, causa lesão do esôfago. Estas lesões podem incluir um ou mais dos seguintes: Refluxo com esofagite - necrose do epitélio esofágico causando úlceras perto da junção do estômago e esôfago Estenoses esofágicas - o estreitamento persistente do esôfago causado pela inflamação induzida por refluxo O esôfago de Barrett - metaplasia intestinal (alterações das células epiteliais do epitélio colunar escamoso ao intestinal) do esôfago distal Adenocarcinoma esofágico : uma forma de câncer.


Terapia com Suplementos:

Indicados a partir de dados obtidos pela clínica, exames complementares e corroborados pela bio-ressonância. Aqui apenas alguns exemplos: – Vitamina B12, – Ácido Fólico, – Ácido-Para-Amino Benzóco -Betaína, – Glutamina – Magnésio quelato – Potássio citrato – DMSO, ou MSM – NAC – Taurina – Glutamina – Fibras – Óleos de linhaça, coco, cártamo – BCAA, treonina – Ervas inúmeras a depender de cada caso[/caption]


Demais Tratamentos (Técnicas complementares):

Podemos checar as possibilidades para indicação da erva de são joão , timo, gingko, amoras, pfafia paniculata e demais raízes. Existem inúmeros relatos clínicos e dados científicos de melhora da evolução de quadros de Depressão através da associação da homeopatia e acupuntura, devendo ser usadas somente sob a supervisão, e/ou consulta de um profissional de saúde qualificado. Claro que essas e demais possibilidades devem antes ser checadas através de dados clínicos, anamnese completa, além de exames complementares, podendo incluir o eletro-escaneamento, microscopia e a bio-ressonância, para termos certeza das melhores opções terapêuticas.


E também sem nos esquecermos dos fatores predisponentes, ou desencadeantes que levaram a este quadro clínico, o que pode até requerer o acompanhamento de demais especialistas. Assim como em qualquer doença crônica vale a pena lembrar a importância de cuidarmos do Sono, da Alimentação, da Atividade Física, dos Fatores pH, do Eixo e mesmo da Sexualidade.


Referências: http://www.everydayhealth.com/gerd/understanding/what-is-gerd.aspx http://www.fammed.wisc.edu/integrative/modules/gerd http://orthomolecular.org/ https://en.wikipedia.org/wiki/Gastroesophageal_reflux_disease Acessados em 11-4-2016 as 9:00hs[/caption]


Posts recentes

Ver tudo

Aids & Tratamentos Naturais

AIDS : O vírus que pode ser visto ou não em pessoas com HIV, pode também permanecer latente, numa forma hibernante, sem dar as manifestações da mesma AIDS - Existem fatores prevalecentes que explicam

bottom of page