top of page

Síndrome metabólica e Tratamentos Naturais

Causas da Síndrome Metabólica

Síndrome metabólica corresponde a três principais causas, que são: uma forma errada de comer, uma dieta inflamatória e um estilo de vida sedentário e um conjunto de sintomas associados, como: diabetes, ou pré-diabetes, pressão alta e colesterol alto, que aumentam o risco de doença cardíaca.


A síndrome metabólica, por vezes conhecida por outros nomes, corresponde a um agrupamento de pelo menos três das cinco condições médicas seguintes (dando um total de 16 possíveis combinações dando a síndrome):

  • Obesidade abdominal (central)

  • Pressão arterial elevada

  • Glicose plasmática elevada em jejum

  • Triglicéridos séricos elevados

  • Baixos níveis de lipoproteína de alta densidade (HDL) A síndrome metabólica está associada ao risco de desenvolver doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2. Nos EUA, cerca de um quarto da população adulta tem síndrome metabólica, e a prevalência aumenta com a idade, com as minorias raciais étnicas sendo particularmente afetados.


”https://www.criesaude.com”alt=”Síndrome metabólica e Tratamentos Naturais: Fatores causais, desencadeantes e diagnóstico

Eventualmente, o pâncreas trabalha com menos intensidade causando anormalidade na produção de insulina, abaixo do normal. Atualmente sabe-se que é a resistência à insulina e não a gordura da barriga a culpada maior pela síndrome metabólica e uma das piores consequências é a alteração progressiva da circulação sanguínea predispondo a trombose. Por sua vez, a resistência à insulina no músculo esquelético promove um aumento da gordura no sangue, o que leva a síndrome metabólica. Entre os indivíduos resistentes à insulina, a energia dos hidratos de carbono é reencaminhada para a produção de gordura no fígado (esteatose hepática). Mais de 50 milhões de americanos sofrem de síndrome metabólica, e metade da população está predisposta a isso.


Síndrome Metabólica e fatores de risco : * A resistência à insulina - Em pessoas com resistência à insulina, a insulina não funciona tão bem e seu corpo continua a fazer mais e mais dele para lidar com o aumento do nível de glicose. Eventualmente, isto pode levar à diabetes. A resistência à insulina está intimamente ligado a ter excesso de peso na barriga. * Obesidade - especialmente a obesidade abdominal. * Estilo de vida pouco saudáveis. Comer uma dieta rica em gorduras e não praticar atividade física suficiente, pode determinar a Síndrome metabólica. * Desequilíbrio hormonal. Por exemplo, a síndrome dos ovários policísticos (SOP) - uma condição que afeta a fertilidade - está relacionada a um desequilíbrio hormonal e síndrome metabólica


Sinais e Sintomas: - A pressão arterial elevada (130/85 ou superior) - Os níveis de açúcar elevado no sangue e resistência à insulina - Altos níveis de triglicérides no sangue - Níveis sanguíneos elevados de LDL (mau colesterol) e baixos níveis de HDL (colesterol bom) - Gordura corporal extra em torno da cintura (corpo em forma de maçã) - Sangue Grosso (hipercoagulabilidade) - Estado pró-inflamatórios (elevada de proteína C-reativa no sangue) - O ESR elevado e os níveis de fibrinogênio em indivíduos muito obesas - Fadiga

- Acrocórdons que consistem de um pedaço de pele que se projeta para fora a partir da pele circundante pode ser visto com a resistência à insulina, a diabetes, e hipoglicemia - Síndrome do Ovário Policístico: é o excesso de produção de hormônios masculinos em mulheres, resultando em obesidade, acne, infertilidade e irregularidades menstruais - Acanthosis nigricans: a pigmentação da pele sobre a parte de trás do pescoço e axilas. - Sono interrompido e apnéia do sono - A disfunção erétil - Maior risco para câncer de mama, próstata e cólon


”https://www.criesaude.com”alt=”Síndrome metabólica e Tratamentos Naturais: Fatores causais e consequências

Síndrome metabólica e Tratamentos Naturais - Terapia com Suplementos:

Vitamina C ; Probióticos ; Complexo B; Niacinamida; Coenzima Q10 (ubiquinona); Cinnamon (canela) ; Berberina (Berberes); Vitamina D; Ácidos graxos ômega-3; Picolinato de cromo ; Ácido alfa-lipóico; Glicinato Magnésio; Silymarin (Milk Thistle); A curcumina


Demais Tratamentos (Técnicas Complementares):

Medidas principais a serem adotadas:

  • Comer de forma moderada e

  • Dando atenção ao ato de se alimentar, isto é, focando a atenção na mastigação e deglutição.

  • Evitar alimentos que aumentam a insulina, ou seja, grãos ricos em carboidratos e pobres em fibras, açúcares em geral e, claro, os alimentos refinados.

  • Fazer Atividade Física Regulamente. Nos casos de não obtenção de resultados, podem ser indicados:

  • -Acupuntura -Homeopatia.


Claro que essas e demais possibilidades devem antes ser checadas através de dados clínicos, anamnese completa, além de exames complementares, podendo incluir o eletro-escaneamento, microscopia e a bioressonância, para termos certeza das melhores opções terapêuticas. E também sem nos esquecermos dos fatores predisponentes, ou desencadeantes que levaram a este quadro clínico, o que pode requerer o acompanhamento de especialistas.

Quando as causas exatas das doenças acabam não sendo totalmente conhecidas:

sabemos que além do aumento da Permeabilidade Intestinal, que acaba promovendo o deslocamento de bactérias dos intestinos à circulação, sem falar da importância da destoxificação

E ainda podemos incluir relações com:o Sono, a Alimentação, a Atividade Física, o Terreno Biológico do qual o Fator pH é uma das variáveis, acúmulo de metais tóxicos, o Eixo e a Sexualidade. outros fatores também podem agravar incluindo drogas, irritantes químicos, metais tóxicos e irritantes ambientais. Todos esses fatores serão checados em consulta.



Referências



Comments


bottom of page