top of page

Fibromialgia & Tratamentos Naturais

Fibromialgia é uma doença que está associada a dor generalizada, rigidez e fadiga, e se origina nos músculos e tecidos moles. Reconhecido pelo CID desde 1988, é também chamado de Síndrome da Disfunção da Fadiga Crônica e Imune (SDFCI).

Fibromialgia é caracterizada pelos seguintes acometimentos: – Fadiga extrema – Dores musculares e articulares – Fraqueza muscular – Dores de cabeça crônicas – Glândulas inchadas, indicando infecção – Febres periódicas e calafrios – Garganta inflamada – Dormência e formigamento das extremidades – Incapacidade de lidar com todo o stress – Disfunção cognitiva – Insônia

Lesão – Uma lesão ou trauma, particularmente na região da coluna superior, pode provocar o desenvolvimento de fibromialgia em algumas pessoas. Há uma grande relação de pessoas que apresentam sintomas de fadiga crônica, depressão e dores musculares e articulares. Diagnóstico diferencial da fibromialgia inclui: – síndrome de fadiga crônica, – infecções virais ou em recuperação de infecções virais, – deficiências nutricionais, – disfunção imunológica, – baixa de oxigênio, – problemas intestinais, – toxicidades de metais, ou sensibilidade química podem todos mostrar sintomas de fadiga crônica, depressão e dores musculares e articulares

Na Fibromialgia, além de termos de descobrir a origem da dor, os fatores predisponentes devem ser sanados, para evitarmos a progressão da cronicidade. Daí a importância da avaliação clínica, laboratorial e corroborados pela Bio-ressonância para o correto diagnóstico e tratamentos.

A termografia pode localizar os Tiger Points, que estabelecem o Diagnóstico da Fibromialgia.

Em 1990, o American College of Rheumatology resumiu os critérios para a classificação da fibromialgia. Definiram que há 18 pontos no corpo. Para ser diagnosticado como portador(a) de fibromialgia a pessoa deve sentir dor – não apenas ter sensibilidade – em pelo menos 11 dos 18 pontos dolorosos quando estes forem pressionados. Os pontos sensíveis da fibromialgia são simétricos; ocorrem dos dois lados do corpo. As localizações dos pontos dolorosos são: – Laterais inferiores frontais do pescoço – Parte superior do tórax – Parte interna dos cotovelos – Logo acima da parte interna dos joelhos – Nuca – Alto dos ombros – Alto das costas (omoplatas) – Acima das nádegas – Quadris

Uma vez que são detectados os Pontos de dor da Fibromialgia, podemos estabelecer também quais órgãos internos podem estar acometidos, ou deficientes


INFECÇÕES ESPECÍFICAS

Por décadas, Dr. Crook trabalhou demonstrando haver conexão da Fibromialgia com candidíase sistêmica, apesar disto não ter tido apoio oficial. Existem por outro lado autores que avaliaram laboratorialmente, • constatando a presença de múltiplas infecções incluindo mycoplasma, em ambas as condições. • Em vista dos resultados com infecções em condições crônicas de modo geral, tenho detectado a participação de agentes infecciosos variados principalmente candidíase e mycoplasma, mas tendo ótima evolução através da associação da clínica, exames complementares e biorressonância para administrar suplementos, alimentos, homeopatia e ervas.


Terapia com Suplementos

Indicados de acordo com a avaliação clinica de cada caso, exames complementares e ainda corroborados com a bio-ressonância para sabermos qual a opção certa em cada caso, aqui apenas alguns exemplos, com dosagens variáveis para cada caso: – Moduladores de sono: – L-triptofano (1.500 mg por dia), 5-HTP (100mg 3x/d), & Hypericum perforatum (300 mg 3x/d) – Melatonina de 3 a 10 mg antes de dormir – Aloe vera & Yam mexicano – Dolomita homeopaticamente dinamizada – Cálcio, fosfato, magnésio quelatos, ou dinamizados – Vitaminas D3, B12, Ác. fólico, E – NAC, DMSO, MSM – Clorela, espirulina – Adpatogênicos: Rhodiola rosea e Panax ginseng (600 mg de cada) – Restabelecimento do ATP mitocondrial: Malato de magnésio, Ác. málico (magnésio 300-600mg e 1200-2400 miligramas de ácido málico) – Creatina, mono-hidrato, 5 gr ao dia – Coenzima Q10 300 mg por dia – Valeriana, & Melissa of. (180 e 90 mg ao deitar) – Anti-inflamatórios à base de plantas: officinale Guaiacum, Boswellia serrata, Tanacetum parthenium e Cimicifuga racemosa – Ascorbigen (VitaminaC com indol-3-carbinol) & brócolis pó – BCAAs – Fosfato de potássio –Suplementos para problemas digestivos e náuseas que muitas vezes acompanham SDFCI, incluem os probióticos, enzimas digestivas e gengibre

– Suplementos para depressão e ansiedade


Demais Tratamentos (Técnicas complementares):

Existem inúmeros relatos clínicos e dados científicos de melhora da evolução da Fibromialgia através da associação da homeopatia e acupuntura, entre outros Phosphorus, Magnesia carbonica, Camomila, Sepia, Nux-vomica e demais a serem detectados. Claro que essas e demais possibilidades devem antes ser checadas através de dados clínicos, anamnese completa, além de exames complementares, podendo incluir o eletro-escaneamento, microscopia e a bio-ressonância, para termos certeza das melhores opções terapêuticas. E também sem nos esquecermos dos fatores predisponentes, ou desencadeantes que levaram a este quadro clínico, o que pode requerer o acompanhamento de demais especialistas. Assim como em qualquer doença crônica vale a pena lembrar a importância de cuidarmos do Sono, da Alimentação, da Atividade Física, dos Fatores pH, do Eixo e mesmo da Sexualidade.


Referências: http://orthomolecular.org/nutrients/vitamins.shtml http://orthomolecular.org/nutrients/proteins.shtml i# Juhl JH. Fibromyalgia and the serotonin pathway. Alternative medicine review. 1998; 3(5):367-75. ii# Puttini PS, Caruso I. Primary fibromyalgia syndrome and 5-hydroxy-L-tryptophan: a 90-day open study. J Int Med Res 1992; 20(2):182-9. iii# Byerley WF, Judd LL, Reimherr FW, Grosser BI. 5-Hydroxytryptophan: a review of its antidepressant efficacy and adverse effects. J Clin Psychopharmacol 1987; 7 (3): 127-37. - http://orthomolecular.org/nutrients/fats.shtml - http://orthomolecular.org/nutrients/micronutrients.shtml – WEBSITES acessados em 14-2-2016 às 16:00hs

Posts recentes

Ver tudo

Aids & Tratamentos Naturais

AIDS : O vírus que pode ser visto ou não em pessoas com HIV, pode também permanecer latente, numa forma hibernante, sem dar as manifestações da mesma AIDS - Existem fatores prevalecentes que explicam

bottom of page