top of page

Corrimento vaginal, ou leucorreia e Tratamentos Naturais

Corrimento vaginal, ou leucorreia, é uma condição muito comum que tem sido experimentado pela maioria das mulheres de todas as idades, em algum momento ou outro. A boa notícia é que pode ser detectada pela avaliação clínica e exames e corroborados pela avaliação energética sendo tratado adequadamente pela suplementação sem efeitos colaterais.

https://www.criesaude.com”alt=”- "Corrimento vaginal, ou leucorreia e Tratamentos Naturais"/Tratamento com ortomolecular, ozônio e alimentos

Mulheres ficam altamente propensas ao corrimento vaginal, tanto por desajustes hormonais, quanto por fatores intestinais, ou ainda fatores locais, por estarem úmidos e cobertos na maioria das vezes. Além disso, as mulheres tendem a suar muito nessa área, o que aumenta as chances de infecções e inflamações. Infelizmente, a maioria das mulheres ficam altamente constrangidas por este problema, como é normalmente caracterizada por um corrimento vaginal com mau cheiro, em geral de cor branca.


Corrimento vaginal e desequilíbrio hormonal: ocorre quando há desajustes dos níveis de estrogênio, e ou progesterona. Alimentação: Ocorre, que quanto mais açúcar e grãos indevidamente comermos, maiores as chances de adquirir infecções e ou corrimentos. Eventualmente, isso poderá enfraquecer ainda mais o seu revestimento intestinal e seu sistema imunológico.


A maioria do corrimento vaginal com odor acontece em parte devido a uma vaginose bacteriana, mas principalmente porCandidíase vaginal, isto é, infecção fúngica: o corrimento é branco, grosso e empelotado.Além dessa alteração na textura e ou na cor, a mulher também pode experimentar coceira e queimação.Geralmente, as infecções fúngicas não apresentam um cheiro muito forte.Elas são o segundo tipo mais comum de infecção vaginal e ocorrem frequentemente após o uso de antibióticos ou em pacientes com diabetes ou ainda com sistema imunológico comprometido

Além da candidíase, caracterizada pelo Corrimento branco-leitoso, outro tipo de corrimento mais comum, é a trichomoníase com odor característico, ou menos frequentemente gardnerela, cuja secreção é amarelada.


Aspectos do corrimento vaginal:

https://www.criesaude.com”alt=”- "Corrimento vaginal, ou leucorreia e Tratamentos Naturais"/Aspectos do corrimento e significado

Analise do corrimento vaginal: Vaginose bacteriana- é a causa mais comum de corrimento anormal em mulheres adultas. Basicamente, há bactérias benéficas e prejudiciais; as benéficas ajudam a regular o desenvolvimento das outras. No caso de doença, ou alteração do pH local, o equilíbrio não acontece e as bactérias prejudiciais passam a prevalecer. Os sintomas incluem um corrimento cinza e amarelado, com cheiro de peixe e escorregadio, além de coceira ou queimação no local.

 Tricomoníase: Nesse caso, o corrimento vaginal é esverdeado e amarelado, além de espumoso. Essa infecção é causada pelo Trichomonas vaginalis, um parasita unicelular transmitido via relação sexual. Essa condição, o terceiro fator mais comum de alteração no corrimento vaginal, também causa coceira ou dor na região.

 Corrimento Vaginal e DST, ou Doenças Sexualmente Transmissíveis, ou ainda ISTs, isto é, Infecções Sexualmente Transmissíveis: As infecções mais comuns, clamídia e gonorreía, às vezes têm o aumento do corrimento vaginal como único sintoma. As características do líquido variam, mas a cor geralmente é cinza, amarela ou verde; já o cheiro é fétido e a aparência, grossa. Nesses casos, as mulheres também sentem dor durante a relação sexual, além de manchas ou corrimento marrom logo em seguida. A vaginose bacteriana, a candidíase e a tricomoníase também podem ser sexualmente transmissíveis.Cânceres do colo do útero ou vaginal: ambas doenças são fatores muito raros na aparição de corrimentos, por isso é fundamental a prevenção!


Além dos vários tipos de corrimento vaginal, juntamente pode ocorrer o desconforto abdominal, a constipação, a irritação abaixo dos olhos e a sensação de queimação nas mãos e pés. Existem outras causas de Corrimento, o usual sendo desequilíbrio da flora intestinal, ou de níveis hormonais. Ambas situações podem ser corrigidas através da orientação alimentar e da correta administração de ervas e suplementos. Além disso, outros fatores a serem corrigidos incluem a constipação ou disbiose intestinal, anemia, inflamação e irritação local, pela coceira, falta de descanso, ou sono.

Há uma série de outras condições que podem causar prurido, ou corrimento vaginal.Aqui lembrando que casos mais graves também podem ocorrer :

  •  vaginose bacteriana, ou BV, além da

  • Candidíase e também

  • Trichomonas, ou ainda

  • líquen escleroso e o

  • câncer vulvar.

  • Oferecemos tratamentos sem efeitos colaterais para cada um deles. Infecções sexualmente transmissíveis, isto é, DSTs ou DST têm, frequentemente, prurido vaginal como sintoma também.


Corrimento vaginal, ou leucorreia e Tratamentos Naturais:

[caption id="attachment_19456" align="aligncenter" width="517"] Indicados a depender de cada caso, de acordo com a clínica, exames laboratoriais e corroborados pela avaliação energética.Aqui apenas alguns exemplos:- Lecitina de soja e ou- Cromo e ou- Quelato e ou- Ômega 3 e ou- Glutamina e ou- NAC e ou- Fibras solúveis e ou- MSM, ou DMSO e ou- Picnogenol e ou- Ác. alfa lipóico e ou- Vitamina C e ou, além de- Ervas, entre outros como a associação de-- Honokiol, e ou berberina e ou Sizigium jambolanum.-Sabendo-se que igualmente importante é cuidar da alimentação, existem alimentos a serem checados para evitar, que incluem:- Açúcares simples, ou refrigerantes, além de- Leite e produtos lácteos e ainda- Farináceos e refinados em geral.


Tratamento Complementar ao Corrimento Vaginal:

Existem inúmeros relatos clínicos e dados científicos de melhora da evolução de quadros de Corrimento, através da associação da homeopatia e acupuntura, devendo ser usadas somente sob a supervisão, e ou consulta de um profissional de saúde qualificado. Entre outras podemos citar: romã e ou alfazema e ou eucalipto e ou losna.Claro que essas e demais possibilidades devem antes ser checadas através de dados clínicos, anamnese completa, além de exames complementares, podendo-se incluir ainda, microscopia e avaliação energética, para indicação das melhores opções terapêuticas.


Quando as causas exatas das doenças acabam não sendo totalmente conhecidas:

sabemos que além do aumento da Permeabilidade Intestinal, que acaba promovendo o deslocamento de bactérias dos intestinos à circulação, sem falar da importância da destoxificação

E ainda podemos incluir relações com:o Sono, a Alimentação, a Atividade Física, o Terreno Biológico do qual o Fator pH é uma das variáveis, acúmulo de metais tóxicos, o Eixo e a Sexualidade. outros fatores também podem agravar incluindo drogas, irritantes químicos, e intoxicantes ambientais como campos eletromagnéticos. Todos esses fatores serão checados em consulta.


Referências:


Acessados em 11-2-16 das 20:00 às 22:30hs

 

Comments


bottom of page